quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

DJI foFINHA vs KrIDa MC



O Hip Hop é uma cultura de auto afirmação, é um movimento de emancipação não só colectiva mas pessoal tambem. Decorrente disso, é natural que hajam, algumas vezes, confrontos entre hip hoppers que pensem ou se expressem de maneiras diferentes.

Não é novidade ouvir rappers “a se bifarem”, quanto mais não seja desde que os rappers se deram conta que o “beef” atrai até si a atenção das pessoas, resultando num proveitoso golpe de marketing. O que não é mau de todo; desavenças entre rappers, quando mantidas estritamente no campo musical, podem ser um óptimo ingrediente para apimentar o movimento Hip Hop, daí que muitos defendam que “os ‘niggas’ têm de se bifar sim senhora”.

Recentemente demo-nos conta de um beef entre dois grandes novos nomes do cenário Hip Hop Mwangolé, nomeadamente Dji Tafinha e Kid Mc. Tudo começou quando o primeiro dedicou metade de uma música (Relatório I) à um ataque directo à Kid Mc. Justificado por se sentir inconfortável com algumas dicas que o segundo deu na música promocional para a mixtape Breves Considerações e noutras mais. E indignado tambem pelo facto de depois de ter negado um convite seu de participação, Kid Mc, supostamente andava por aí a vangloriar-se por ter indeferido um convite do grande Dji Tafinha, por este ser “fraco”.

Até aí, a situação parece-nos “normal” (dentro daquilo que são os parâmetros do Hip Hop, supracitados), reservando à Dji Tafinha o direito de resposta, por de alguma forma se sentir atacado.

Mas ainda face ao silêncio de Kid Mc, Dji Tafinha lança o Relatório II, uma suposta (sim, suposta) gravação de uma conversa em que Kid Mc faz um discurso completamente descabido. Foi o descalabro;

Ficamos sem saber se a intenção de Dji Tafinha era limpar o seu nome ou ganhar algum protagonismo no seio do Hip Hop Underground.

Face à isto, Kid Mc lança uma música não muito diferente daquilo à que nos habituou; “eu sou forte e verdadeiro, tú és fraco e falso, etc e tal”, aquilo que é o seu conceito de Underground. Mas uma resposta bem à medida.

Esperamos que esta desavença fique por aqui, e que os dois intervenientes tenham subtraído dela o que de melhor podiam abstrair;

O Dji Tafinha que tenha maior controlo sobre a elasticidade do seu alter-ego, que não se esqueça de onde veio e que esteja bem consciente que seja qual for o patamar que a sua carreira atinja, nunca será (nem se sentirá) completo se não tiver o reconhecimento dos da massa cinzenta do Hip Hop.

O Kid Mc, que na opinião da maioria saiu victorioso do beef, comece a ganhar consciência da sua responsabilidade social perante os seus admiradores e seguidores, que não poucos. Comece realmente a tornar as suas músicas mais sociais, mais positivistas (não que sejam o contrário), de modo a ser um verdadeiro ponto orientador para esta enorme camada juvenil que consigo arrasta. Contribuindo assim para que o Hip Hop seja visto por todos como um pilar sócio-juvenil.



E por serem os dois pequenos grandes MC´s vale mesmo a pena baixar e curtir os sons do beef:


Dji Tafinha - Relatório I



Kid Mc - Velório

http://www.mediafire.com/?mwtndjjmcmn



Foto por Lionel


J.I

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

LONG 'N XORT - Bobakanã (Download)

Long 'n Xort é o duo formado por Camacho e BZB, este último que antes integrava o Movimento Horrorcore Aliado, ao lado de Raf Tag, Bob da Rage Sense e outros. Foi convidado por Camacho a fazer um Rap mais musical, numa mistura com dance music e o resultado é essa inovação no cenário musical angolano.

Curtam e "downloadem" o videoclip, que por economia de espaço e tempo disponibilizamos em 3gp, pelo que poderás não conseguir assisti-lo no teu PC, mas no telefone vai que é uma beleza:





Faça download do vídeo clicando no link abaixo:

http://www.mediafire.com/?m3knuqmj2mh



J.I

terça-feira, 18 de agosto de 2009

CATAPULTA: Jang Nómada - Quebra a Babilónia (single)



Não é um rapper qualquer; trata-se de Jang Nómada 'o Peregrino'. Este dread produz uma interessante mistura entre Rap e Reggae, baixem e curtam:


* Versus (Prod. Carbono)




* Vou Falar de Ti (Prod. Wagiza)




* Kem Me Dera... (Prod. DH)




* Quebra a Babilónia (Prod. Jang e Rafeiro)





J.I

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

ÁLBUM EM ANÁLISE: Comboio d Pensamento - Mutu Moxy


É comum agora ouvir rappers dizerem que são “gangstars”, “hustlers”, que são “100% da street”, etc. Mas a verdade é que angolanos comuns, como eu, não se identificam patavina com esse tipo de RAP feito por, como dizia o Sábio Louko, "americanóides".

Mas para deleite de angolanos comuns, como eu, que apreciam o RAP de rua (não da street), existem rappers como Mutu Moxy tcc Intelektu, a produzirem álbuns como este que agora trazemos para análise.

Comboio d Pensamento é um disco que apesar de feito por um rapper a residir fora do país, reflecte bem aquilo que é a vivência de quem nas ruas procura sobreviver, superando todas as adversidades que o sistema oferece. Mutu Moxy no seu estilo original conseguiu transpirar para a superfície o real Rap de rua.

Comboio d Pensamento peca por ser um álbum monótono em termos de ritmo e flow, lembro-me de alguém a quem emprestei o meu disco (e até hoje não consegue me devolver - sabes quem és), me ter dito que até à 10º (décima) faixa lhe doíam os ouvidos. Não se trata de aversão ao hardcore; é antes consequência de um descuido na musicalidade que teve o Mutu Moxy.

Comboio d Pensamento é ainda assim mais um disco que vem marcar a diferença no cenário do Hip Hop angolano. É um produto independente, uma boa dose de Rap alternativo.

Bem haja Mutu Moxy, bem haja Hip Hop.
Obs: brevemente aqui no blog músicas para download e o contacto deste madié, pra quem quiser adquirir a obra.
J.I

terça-feira, 11 de agosto de 2009

FEIRA DE RAP LUSÓFONO - ELINGA TEATRO

A produtora de Hip Hop independente, Masta K Produsons, realizou Domingo último (09.08.09) no Elinga Teatro, em Luanda, uma feira onde foram expostos vários produtos do Hip Hop alternativo, dentre os quais t-shirts, álbuns e mix-tapes.


O espaço mostrou-se pequeno para albergar a grande quantidade de pessoas sedentas por respirar Hip Hop.


Depois da exposição seguiu-se um espectáculo que tambem kuiou bué. Por agora postaremos algumas imagens sacadas durante a exposição:




CMC (street)






Bancada da Mad Tapes






E o tráfico não parava


Father Mack



Nganga Wa Mbote, Das Primeiro e Paradoxo


Até bancada dos Rastas tinha lá



Já lá se foi o tempo em que só se viam gajos nesse mambo


MKR



Kid Mc


Abione, Xtremo Signo e Raf Tag


Sixkim e Jang Nómada


Warawata bem acompanhado


Li'l Jorge



AKM-47


Warawata decorou o cenário que foi bem aproveitado


Sunga, DH e Nkkappa



Dj's Pelé e Samurai, bateu bué






Obs: Fotos por Nkkappa para a MP3 Produções.

J.I


quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Hip Hop Causa (por Nkappa)


Não é um termo usual no hip hop, mas sim uma xpressão q d um tempo pra ká, vem sendo usada por mim e por aquelas pessoas k kom ela se vão identificando

Uso­-a normalmente para assinalar akelas kausas humanitárias k o hip hop abraça nos vários kantos do globo, onde se faz Hip Hop.


Angola infelizmente parece k n konsegue rekonstruir os bons kostumes d 1 povo, faktor k nos leva a bjr o solo do individualismo e a xkecer k existem gestos k moralizam outros indivíduos, principalmente akeles k por 1 factor social kmo a necessidade, n tm kondições.


ONG's, organizacoes religiosas, académikas e ate kulturais em tdo mundo tm vindo a exercer acções k visam ajudar e ate certo ponto kntribuir para o bem da humanidade.


E prk n o Hip Hop k kmo movimento, sua finalidade rekai na valorizacao do homem ser social?


Rekordo-me k em 1999, numa iniciativa da Koligacao Periférika e Movimento da Konsciência Revolucionaria kom a parceria d alguns aliados, realizou-se uma actividade Musico kultural kujo objectivo era a angariacao d bens d primera necessidade k foram doados ao centro social do Padre Horácio.


A minha chamada d atencao neste evento rekai primeiro na aderência dos fazedores do Hip Hop. Rapperz, B.Boyz, Grafiteiros, aderiram ao chamado da filantropia.


11 anos dpoz, olho pra akilo k se faz d Hip Hop e kom tda autoridade afirmo k há muito mais kondições k noutrora e o Hip Hop xta kmo B.I.G, disse ” mo money, mo problem” Mais dinheiro, mais probema.


Klaro, prk agora k mais kondicoes existem pra fazermos obras d filantropia, mais distantes xtamos da ideia de pelo movimento ou kultura Hip Hop, fazermos alguma koisa.


Prestem bem atenção, k se kizermos chamar o Hip Hop d kultura temos d ter em konta os princípios k definem Kultura.


A xtoria ensinou-nos grandes lições sobre a importância d ajudar-mos-nos uns aos outros e k essa atitude é 1 passo importante pra marcha d 1 povo à victória, a partilha na kultura Afrikana smpre foi 1 elemento vital pra manutenção social do povo.


Aciono nesta pagina a minha grande preokupação kom o Hip Hop Angolano. Nossos bolsos xtão kom 1 pouko mais d volume, xtamos bem mais maduros k à 11 anos atrás e melhores organizados k ontem.


Meus Kalibrados aplausos para o Laton, teu gesto vale vénias no mundo da karencia d gestos em k o Hip Hop Mangurra mergulha, mas t vou pedir pra k nas próximas vzs knvides o Hip Hop Mangurra a t akompanhar, xtou knvíkto k será tão kuiozo kmo foi em 99, ate prk há pessoas no Hip Hop kom outras habilidades, k kntribuiriam pra 1 dia bem mais fixe pra essas krianças. KALIBRA-TE MANO….



Nkappa

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Keith-B vende o seu peixe‏

J.I

BREVEMENTE: CabNgola


O pessoal da CabMusic está a preparar a sua 1ª mixtape que, caso dê tudo certo, deve estar nas ruas em Outubro de 2009.O projecto terá participações de emcees angolanos por isso recebeu o nome de “CabNgola”.
A CabMusic está aberta a colaborações, podem mandar as vossas cenas, accapelas, beats e cenas do género para os seguintes e-mail's: valentim_joao@yahoo.com ou raivoso2@hotmail.com

Caso haja algum produtor interessado em meter o seu instrumental na referida mixtape, pode enviar também para os mesmos e-mail's.

Quanto a participações pode-se adiantar que já está confirmado o Duplo N, de Luanda-Angola.

CabMusic
Tel. +244 924 845 473
AngolaCabinda

terça-feira, 23 de junho de 2009

BRANDOVILLE CONEXÃO


O prometido é devido. Aqui está 1ª edição da ponte que se cria entre produtores e rappers (anónimos e não só). Neste espaço serão disponibilizadas amostras de beats e o contacto dos respectivos produtores. Os interessados deverão entrar em contacto com os tais, numa negociação que poderá ou não envolver kumbú.

Estreia esta rubrica o mestre do teclado, Brando tcc Don Casanova tcc El Maestro, jovem produtor a residir na Holanda. Eis algumas amostras dos seus "filhotes", que antes de downloadar poderás ouvir no aplicativo ao lado (à sua esquerda: Brandoville Conexão):

http://www.mediafire.com/file/bjogqhnn5ml/Brando Newst Heavy Beat INCOMPLETO.mp3

http://www.mediafire.com/file/etqnjtzizg4/Brando New OldSkool2.mp3

http://www.mediafire.com/file/wzmyqwwklnk/Brando New-G Beat INCOMPLETO.mp3


J.I

segunda-feira, 22 de junho de 2009

RITMO, ARTE E POESIA

As sessões de Ritmo, Arte e Poesia passarão a homenagear quinzenalmente o malogrado rapper Kissaka.


Nota: o Centro Recreativo Maxinde situa-se na Avenida Brasil, defronte as torres da Cidadela Desportiva.


J.I

sábado, 20 de junho de 2009

CATAPULTA: Kim Buda - Trilhos da Vida (Single)



Ora aí está mais um produto tão raro quanto bom, O Single Trilhos da Vida de Kim Buda, que agora disponibilizamos para download.


* Trilhos da Vida com Male Fu''k, K.O & Ananias

http://www.mediafire.com/?xmmwz3ntxoo


* Juventude Inquieta com Fausto

http://www.mediafire.com/?ommmlzdkkmz


* Marçal, Capital de Luanda

http://www.mediafire.com/?umnjjnnwyz4


* Planalto Central com Fausto

http://www.mediafire.com/?2nwm31zgwxl


* Deus

http://www.mediafire.com/?nvjwngjbjjo



J.I

segunda-feira, 15 de junho de 2009

DENEXL - LINHAS DE RECARGA-EP (Descarga Gratis)‏


EP DE DENEXL, LINHAS DE RECARGA, JA DISPONÍVEL PARA DOWNLOAD, GRÁTIS.COMPOSTO POR 10 FAIXAS MUSICAIS, DUAS DELAS EM FORMA DE BONUS TRACK, É UM ALBUM QUE INCLUI MÚSICAS GRAVADAS DURANTE OS ANOS DE 2003 ATÉ 2009.CONTA COM PARTICIPACOES DE MAD-CONTRÁRIO (Hemoglobina), BOB DA RAGE SENSE, SPIKE Z (Filhos da Arte) e YAW JB. COM PRODUCOES DE DENEXL, MAD-CONTRÁRIO, MARIO PINHO, CONDUCTOR E BLACK (Russia).


FACA JA O SEU DOWNLOAD EM:

ou


Info:




TA PORREIRO!!!

terça-feira, 14 de abril de 2009

VIDEO: Kald luft kald By - J-zino ft Noia & Hugo Bo$$



Pois é, a popularidade deste jovem rapper angolano a residir na Escandinávia, continua a aumentar.

Sua performance neste som chamou a atenção de um dos Dj's mais conceituados daquele país, Big Ice. Que o convidou a participar no seu próximo disco que terá como título Playboy Foundation e está a ser produzido nos E.U.A.


J.I

quinta-feira, 9 de abril de 2009

BREVEMENTE: Linhas de Recarga



Ainda este mês, o EP de Denéxl intitulado Linhas de Recarga, estará disponível gratuitamente.

Baixe um dos sons que compõe o EP Linhas de Recarga, produzido por Denéxl e com participação de Spike Z (Filhos da Arte):



J.I

terça-feira, 31 de março de 2009

COMUNICADO:


A Tha Real G Records, vem por este meio informar e desculpar-se ao publico pelo adiamento da data oficial das vendas do album de Keith-B. Pessoal as nossas sinceras desculpas pelo adiamento da data da venda em Angola que estava prevista para 19 de marco que agora passara para Abril+ sem dia oficial ainda. E com muita indignacao que o musico Keith-B e a editora Tha Real G anunciam esta inesperada mudanca. o album nao vai poder estar nas lojas na data marcada, por motivos de demora do prcesso de legalizaçao físcal. A mercadoria ja esta na Capital Angolana a várias semanas + o processo de desalfandegação da mercadoria esta ser mais demorado do que o previsto. Atendendo ao fluxo de nivel de importação do país, o processo torna se lento e demorado. As nossas sinceras desculpas, pessoal. + nao podemos... e nem temos poder para passar por cima da Lei. Agradecemos desde já a vossa Compreensão e assim que o "Number One" se livrar das garras da alfandega, ainda antes de abril acreditamos nós, anunciaremos uma nova data oficial para as vendas do album.



O dread a confirmar que o seu disco não é fantasma



A distribuicao na Inglaterra está a cargo da editora Inglesa Fat City Records, Tha Real G e possivelmente a partir de Maio. Já agora para os manos e manas residentes em pontos ou países onde a nossa editora nao actua Podem comprar o album online em http://www.fatcity.co.uk/sales/ ( worldwide delivery avaiable).

As nossas desculpas

Ass: Keith-B & Bruno Dc



VIDEO: Nganga Wa Mbote no Salão Verde

Nanga interpreta um clássico de seu ex companheiro de grupo ( Revú 3ª Essência tcc keita Mayanda).



J.I

quarta-feira, 25 de março de 2009

CONHEÇA-TE A TI MESMO

Todos nós, enquanto criadores, estamos sujeitos às influências. É preciso porém, estabelecer os limites dessas influências no processo de criação.

Não é preciso ser sociólogo ou qualquer outro analista social, para constatar que o Hip Hop que se faz em Angola não possui uma identidade (própria). E isto deve-se, a nosso ver, a não observância por parte dos hip hoppers de um dos pilares ideológicos desta cultura: o auto-conhecimento.

A arte é antes de tudo a exteriorização d’aquilo que vai no âmago de quem a produz. Quando o criador ignora deliberadamente os elementos que constituem a sua realidade, a sua obra resultará, deveras, vazia e infundada.

É exactamente assim que vemos a maior parte do RAP que se faz em Angola. Os rappers não se conhecem a si mesmos. Fazem músicas nas quais eles próprios não se revêem, quanto mais nós, seus ouvintes.

Passou a moda dos "revús vs playas", agora estamos na onda dos "gangstars", "beefeiros" e "punchlinners" (é assim que se escreve, né?!)… E assim vão caminhando os rappers, sempre atrás do que está a bater, mas nunca perseguindo aquilo que realmente são.

É preciso ser-se livre e o primeiro passo para se alcançar tal estágio é conhecer-se a si mesmo.

É necessário transpirar a nossa realidade nas músicas, para que passemos então de Hip Hop feito em Angola para Hip Hop angolano.


Se posuirmos uma identidade própria, granjearemos de respeito e mais difícil se tornará sermos ridicularizados desta forma:




A propósito de se conhecer a si mesmo, faça download da música Fala, extraída do Projecto Página Aberta, clicando no link abaixo:
J.I

segunda-feira, 16 de março de 2009

MÚSICAS A BORLIÚ:

Mais uma remessa de músicas raríssimas para vós "downloadares" e vos deleitares:


* Mos Mc's - Grande L(eonardo Wawuti)
Um verdadeiro clássico, do primeiro disco angolano de RAP independente editado, Basicamente Simples. É um recado aos rappers "americanoides" com comportamentos à leste da nossa cultura, realidade, nosso tuta...

Clica no link pra "downloadar":



* Apelu à Koerência - Visão Periférica
Um música com um forte carácter político. Um Apelo a coerência num discurso coerente sem descorar o flow e o seu perfeito enquadramento da no beat.

Clica no link pra "downloadar ":



* Demo - Phay Grand
Uma apresentação de músicas que farão parte do seu próximo álbum.

Clica no link pra "downloadar":



* Alienação Mental - Supremo Regimento c/ Mc K
Uma música que retrata a nossa aderência à hábitos e costumes estrangeiros em detrimento dos nossos. Aparição de Mc Katrogipolongopongo no seu estilo peculiar.

Clica no Link pra "downlodar":



* O Liricista - Dji Tafinha
Um som onde Dji Tafinha exibe todo o seu poder lírico. Uma música que apesar de não constar em nenhum dos seus discos lançados vale mesmo a pena ter na colecção

Clica no link pra "downloadar":



* Angola - Kalisto
Um brinde que apela aos angolanos a erguerem a cabeça e correr atrás da verdadeira independência.Uma música que contém extractos de um discurso de Jonas Savimbi.

Clica no link pra "downloadar":



J.I

terça-feira, 10 de março de 2009

VÍDEOS

Dji Tafinha c/ Valete - Sou eu Mesmo Sempre




Analógicos - Speed Life




J.I

sexta-feira, 6 de março de 2009

ENTREVISTA: Carlos Csar tcc CC (DigitMusic)

Sim, Angola não é só Luanda! E abordar sobre o Hip Hop angolano significa não circunscrever-se ao circuito luandense.

Mantivemos uma conversa com Carlos Csar ou simplesmente CC, um dos produtores mais badalados da província do Namibe, pela DigitMusic, a sua produtora. Passamos a saber mais sobre a sua label e a medir a pulsação do movimento Hip Hop naquela província.


J.I:
Quem é o CC?

Carlos Miguel Csar:
Carlos César...Jovem Productor

J.I:
Não canta?

Carlos Miguel Csar:
Não!!!!!

J.I:
Há muitos produtores de RAP no Namibe?

Carlos Miguel Csar:
Digamos que : dos que assim se chamam produtores, são poucos...mas tem sempre muita gente a tentar fazer produções.

J.I:
Isso quer dizer que há pouca qualidade nas produções namibenses?

Carlos Miguel Csar:
hahahahahahahhahahhha!
É assim: o termo qualidade não está designado como ser ou não ser produtor.
Qualidade é muito abrangente para o que um músico realmente procura, mas segundo os Rappers cá da zona e segundo o que se faz cá em Angola, digo sem medo de errar que a DigitMusic está a postos.

J.I:
DigitMusic é a sua produtora, fale-nos um bocadinho sobre ela


Carlos Miguel Csar:
DigitMusic sou eu e eu sou a DigitMusic.
Nos Dias de hoje ja se ouve com qualidade Beat, sons, e Músicas feitas com o mínimo de instrumentos e o Máximo de Magia, arte e amor.
A Digit está ainda a dar os seus passos miúdos, mas é aposta minha fazer da DM uma Produtora a 1000%.
A DM é a semelhança de muitos Homestudios que existem em Angola: fazer de um Room, o espaço pra se criar verdadeiras obras de arte.

J.I:
Tem sido muito solicitada pelos Rappers namibenses? Há muitos rappers no Namibe?

Carlos Miguel Csar:
Rappers aqui é que nem crianças no infantário.
Rappers existem em qualquer parte tanto porque a sociedade assim o faz e tanto porque quer assim o ser.
A Digit é procurada com regularidade, mas as vezes a falta de tempo por minha parte tem sido impedimento pra muita coisa.
24 horas é pouco pra mim!
Trabalho,escola e Digit.
As vezes um dos 3 cenários é sacrificado.


J.I:
Tem acompanhado o movimento Hip Hop de Luanda?

Carlos Miguel Csar:
+ ou -...

J.I:
Qual a opinião que tem sobre ele?

Carlos Miguel Csar:
O mov Hip Hop em Luanda é "quente".
Dentro de um Game do género se espera tudo: desde boas jogadas até as falcatruas que fazem as vezes as pessoas que stão fora do mov perceberem o mov em outra dimensão.
Mas a larga escala que luanda tem no que diz respeito a Mcs, produtoras,Músicos e etc...fazem daquele mov um bom campo de batalha.
Digamos q o Mov tá noutra Galáxia, mesmo havendo Mc que ja não fazem Hip Hop e nem Rap....passaram disso pra outros patamares que nem deviam ser chamados de Mcs ou Rappers
O Hip Hop evolui!!!!
tudo bem.
Mas o Hip Hop não pode nunca ser comparado ao Fado, figuradamente falando.


J.I:
O Movimento em Luanda está então, a seu ver, num estado positivo?

Carlos Miguel Csar:
Simmmmmmm e Não.

J.I:
Como assim?

Carlos Miguel Csar:
Sim pois ainda existem Rappers de raça, aqueles que realmente sabem que Hip hop é o Mc,o DJ,o B.Boy e o grafiteiro e não apenas vender copias na Portaria.
E Não por aqueles querem ofuscar o Mov.

J.I:
E o “Mov” No Namibe, tá mais pra SIM ou pra NÃO?

Carlos Miguel Csar:
pra NÃO....

J.I:
Porquê?

Carlos Miguel Csar:
Bem, as cenas as vezes parecem fáceis mas depois são complicadas.
Uma das coisas que influencia negativamente o movimento aqui são os poucos espectáculos de Hip Hop....e quando acontecem não saem a 100%.
Outra coisa que deveria influenciar Positivamente o mov, seria a vinda de Mcs pra aqui. Por exemplo: aqui raramente se vê um espectaculo de Rappers Nome em Angola, raramente se tem cds originais a venda. E isso é negativo.

J.I:
Sente q há por parte dos Rappers Nome em Angola um "abandalho" para com o Namibe?

Carlos Miguel Csar:
Não é bem assim, as vezes é necessário q as pessoas que promovem espectáculos pensem nisso.
O Rapper pode até pensar em ir ao sul, mas se a organização do evento assim não definir: NADA FEITO!


J.I:
Não temos notícia de nenhum disco, mixtape ou qualquer outra compilação lançada no Namibe. Estamos certos?

Carlos Miguel Csar:
Sim. Não há algum registo até então de nenhuma mix ou album trabalhado cá no Namibe. Mas já estão algumas em execução.


J.I:
Já vão um bocado atrasadas, não acha?

Carlos Miguel Csar:
Correcto, antes tarde do q nunca.

J.I:
Pode adiantar nomes?


Carlos Miguel Csar:
Mozart tcc Pappy G está agora a trabalhar na sua mix.
Lil gil tcc Number One o filho da DigitMusic
Tambem ja está com as rimas afiadas.
Muito mais os rappers em 2009 vieram com outras filosofias.
Pois muitos deles viajaram para outros pontos do País e viram q a realidade do Game( Mov) era bem diferente.

J.I:
Qual o tipo de RAP que predomina aí no Namibe?

Carlos Miguel Csar:
UNDERGROUND.
No inicio é sempres assim mas muitos deles ja estão a tentar fazer diferente.

J.I:
E o Carlos Csar, enquanto produtor, faz distinção entre uns e outros?

Carlos Miguel Csar:
Naaaaaaaaaaa, eu tento dar o meu apoio em tudo e todos.
Tudo bem, eu tenho as minhas preferências mas to aberto a tudo
e Os Rappers de cá sabem disso.

J.I:
Existe uniformidade nos preços praticados pelos produtores?

Carlos Miguel Csar:
Não! os preços são variáveis mas muito próximos uns dos outros.

J.I:
Acessíveis ao mais simples dos rappers?

Carlos Miguel Csar:
Acho q sim!

J.I:
Qual a comparação que faz, em termos de qualidade, entre as produções da DigitMusic e as produções mais badaladas de Luanda?

Carlos Miguel Csar:
São diferentes, mas não tão distantes.

J.I:
Quais são os planos de Carlos Csar enquanto CEO da DigitMusic, no médio e longo prazo?

Carlos Miguel Csar:
A Médio prazo: lançar mixtapes.
A Longo Prazo: Fazer da DigitMusic um espaço de Peso na Produção Musical

J.I:
Uma palavra a todos os rappers namibenses que tiverem acesso à esta entrevista

Carlos Miguel Csar:
Muita Força Manos, Depois da tempestade vem a Bonança.
A Música Liberta-te.

J.I:
E últimas considerações (gerais)

Carlos Miguel Csar:
Hip Hop é para manos com raça.
Obrigado pela Entrevista e J.I continua a fazer o teu Trabalho.
One Love for everybody.

J.I:
Tá-se bem. Paz e sucessos!


Agora baixem e curtam este som produzido pelo dread:


http://www.mediafire.com/?hazyn1znnyt



J.I

segunda-feira, 2 de março de 2009

VIDEO: Doctor C no Salão Verde

Performance do rapper que responde pelo nome de Doctor C. Muito forte...



J.I

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

FILHOS DA ALA ESTE, O REGRESSO DA LENDA


É isso mesmo, o lendário grupo que fez furor com as suas músicas políticamente interventivas nos finais da década passada e princípio desta, está de volta ao activo. Sem alguns dos elementos que outrora pertenciam ao grupo, mas com a mesma atitude e uma técnica mais apurada.



Foto de 1998. Vê-se de pé e atrás, os elementos do grupo actualmente mais activos (da esquerda para a direita): Nganga Wa Mbote, Wyma Nayoby e Hebo Moxi.



O grupo retornou ao activo com alguns dos seus elementos com trabalhos a solo tambem.


Prova disso são estas novidades quentíssimas que disponibilizamos para download:

* Se Morrer é um Descanso c/ Cristo
http://www.mediafire.com/?uy3njnhmumm


* O Regresso

http://www.mediafire.com/?kmmmrm5ikzm


* Por Via das Dúvidas

http://www.mediafire.com/?jrgnbw2xz0o


* Eu Quero Ouvir Tua Voz

http://www.mediafire.com/?ueahnzwz20o


J.I

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

SESSÕES DE RITMO, ARTE & POESIA

Todos os Sábados no restaurante Salão Verde, situado no Bairro dos CTT's próximo a Coca-Cola, o ambiente aquece com as sessões de Ritmo Arte & Poesia (Ritmo, Ritmo, Arte & Poesia).

Apartir das 17 horas apresentam-se em palco representantes das diversas vertentes do Hip Hop num espectáculo único. Acreditem, qualquer dia aquela casa cai.

O vídeo a seguir é uma performance a solo do rapper Paradoxo





J.I

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

MÚSICAS A BORLIÚ

As músicas que apresentamos a seguir são autênticas raridades que com o maior dos prazeres compartilhamos convosco.

Algumas delas algo longe da qualidade sonora padrão, mas ainda assim vale mesmo a pena tê-las na colecção:


* Filhos da Ala Este - Poder do Povo
Não é preciso ser da old school pra sentir o toque nostálgico que dá o intro deste som. Filhos d'Ala Este no seu melhor.



* Anti Balas - Título desconhecido
Grupo encabeçado por Dread Joseph, uma performance vocal muito original em mais um tema que vem dar voz àqueles que não a têm, em cima de um beat por sinal produzido por RK100AP (Laton).

http://www.mediafire.com/?nmydhezlryz



* Afrontamento - De Joelhos Nunka
GRANDA SOM. Um grupo que apesar do carácter pesado das suas letras tem no seu seio uma voz femenina (Manucha. respondendo um bocado aí a mana Vanusa). Alguns dos elementos deste grupo já não se encontram no mesmo.

http://www.mediafire.com/?0nymyqyniiz



* Kissaka, Máscara Negra, ... - Ponto de Vista Nacionalista
O nosso reconhecimento e desejo de que o mano Kissaka descanse em paz. Porque as pessoas passam mas as obras ficam e neste caso, que obra...

http://www.mediafire.com/?tdwfodzz3jl



* Nkappa - Rapresentar

Novidade quentíssima, deste dread que além de mc é tambem Dj. Neste som o mano mostra a bomba que resulta quando se rima com poesia e amor. Beat de Diala ka Kilunge.

http://www.mediafire.com/?ikznz1muxyj



* Phay Grand, SV & Proeminência - Pra Vocês

Phay Grand dispensa apresentações, juntamente com esses outro manos, chama atenção aos rappers que vivem aqui e no mundo da Lua ao mesmo tempo

http://www.mediafire.com/?1n2zmddwwmz



* Nvutukila & Nkappa - Punhos Cerrados

Sim, Hip Hop é atitude. Atenção, não confundam com Public Enemy, são mesmo angolanos...

http://www.mediafire.com/?nyqyy2foooi



Continuem a enviar as suas músicas e outras cenas para o e-mail balumukenuhiphop@hotmail.com



J.I

domingo, 22 de fevereiro de 2009

ÁLBUM EM ANÁLISE: V Império - Dealema


O grupo de Hip Hop português, mais propriamente da cidade do Porto, denominado Dealema formado por cinco elementos, que são: Mundo , Fusível , Ex-Pião , Dj Guze, Maze ,cinco anos depois do lançamento do seu álbum estreante intitulado Dealema , que por coincidência ou não é o nome do grupo , voltou a ribalta com um segundo álbum intitulado “ V IMPÉRIO “ lançado no dia 31 de Março de 2008.

Neste álbum os Dealema mostraram–se mais profundos espiritualmente, mais maduros no pensamento, apresentado faixas musicais que de certa forma vem contribuir para uma melhor consciência juvenil, apelando aos jovens a não violência. Mostraram que ainda continuam firmes aos ideais que defendiam outrora, resistindo ao mercado cada vez mais comercial.

No álbum V IMPÉRIO o grupo Dealema mostrou–se mais claro liricamente, o grupo apresentou a sua visão sobre a vida, relatando nalguns dos casos as experiencias vividas pelos membros, peca o facto de não se ter feito muita divulgação da obra, aconselhamos ao grupo a criar o melhor plano de promoção da obra, outrossim no facto de não se ter desenvolvido um tema específico no álbum, mas verdade seja dita isso acontece em quase todas obras musicais feitas no mundo inteiro.

A capa da supra citada obra é muito sugestiva, pelo facto de nela ser exibido símbolos maçónicos, será que os membros do Dealema são maçons?

R: Não sabemos ao certo se são ou não, nem qual objectivo do grupo ao exibir tais símbolos, abordaremos esses símbolos noutro artigo, para não fugir ao tema fulcral desse artigo e também para não cansar o caro leitor.

V IMPÉRIO numa visão nossa (BALUMUKENUHIPHOP) está entre os melhores álbuns do ano de 2008 no mundo lusófono, os nossos sinceros parabéns ao grupo por fazerem bom Hip – Hop, a todos aqueles que ainda não escutaram a obra V IMPÉRIO convidamos vivamente a escutar. Os meus agradecimentos ao Cognitivo por ter feito esta obra chegar até mim, até breve.


Transmissor


Downloada o som Escola dos 90

CATAPULTA: Mixtape Renascença Vol.1 (parte 2)


Respondendo aos muitos pedidos que nos foram feitos, aí estão as restantes músicas da mixtape Renascença elaborada e lançada pela Fusão Perpétua em 2oo8.


* Bons Tempos


* Cidadão Angolano


* Em Busca da Moral


* Eu Confesso


* Reflexões
http://www.mediafire.com/?mhhc22ht0zm


* A Victória
http://www.mediafire.com/?1wkjnhwgmmd



J.I

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A DOCE VERTIGEM DE IKONOKLASTA


O mano fez-se a estrada num périplo que principia na Europa e vai até a África do Sul. O seu objectivo é "...querer conhecer o continente onde nasci, as gentes e culturas complexas que o constituem e sempre desvalorizadas pelo mundo 'desenvolvido' ".

Notem que a viagem será feita, digo, está ser feita de forma a se explorar ao máximo as pontecialidades culturais de cada ponto do percurso, ou seja; O dread está a andar (praticamente) à abutre.

Se não conhecêssemos o rapper Ikonoklasta questionaríamos a sua sanidade mental, mas não. Sabemos que dessa experiência resultará um artista com muito mais para partilhar.

Ao "Ingénuo Sonhador" desejamos boa viagem.

Visitem o travelPod do madié:

http://www.travelpod.com/travel-blog/ikono/1/tpod.html

J.I

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

ÁLBUM EM ANÁLISE: Kooltivar- Kool Klever


“O álbum do Kleva só vai tocar no Big Show”. São palavras captadas por nós algures nas lides de Hip Hop. Mas para qualquer consumidor não emotivo de música, este certamente não será o critério a ter em conta na apreciação de um álbum.

Quem tiver este disco em mãos constatará que se trata de um dos melhores liricistas do Hip Hop angolano. É um disco feito de dentro para fora sem visar primeiramente interesses comerciais, para alegria daqueles que temiam que Kool Klever tivesse mudado a “vibe” durante os últimos anos, em que ouvi os mesmos chamarem-no “underground confuso”, “underground camuflado”, etc. e tal.

Kooltivar. O conteúdo se poderá comparar ao de poucos outros álbuns de RAP nacional; tratam-se de músicas claramente feitas por uma pessoa adulta dentro do adolescente movimento Hip Hop angolano. Um retrato fiel da realidade que circunda e em que vive o autor sem, com isso descorar a musicalidade da obra. A combinação destes dois factores resultou numa amostra de Hip Hop no seu estado mais sublime.

Por isto mesmo devia ser objecto de maior divulgação. Não sabemos que motivos levaram o Kool Klever a vender no mesmo dia que o Yanick (Afroman), talvez por estar convencido que é “um dos melhores” como o diz na primeira faixa do álbum. Mas o facto é que tal acto conduziu ao “ofuscamento” de um disco de RAP com que vale a pena nos exibirmos para a sociedade.

Kooltivar. Um disco feito como que do Hip Hop para o Mundo. Quem se diz amante desta cultura deve tê-lo em casa e nunca perder uma oportunidade de dá-lo a conhecer as pessoas circundantes.

Bem-haja Kool Klever, bem-haja Hip Hop.


Vale mesmo a pena baixar e curtir a música Nós Somos

http://www.mediafire.com/?mm2juohndjg



J.I